home notícias Mercado e Negócios
Voltar Voltar
09/01/18
Droga anti-HIV em testes vai permitir tratamento semanal, diz estudo
Pílula em forma de 'estrela' permite liberação lenta de compostos. Com isso, uma única pílula por semana poderá ser suficiente, diz estudo publicado na 'Nature Communications' desta terça-feira
Da redação

Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, desenvolveram uma cápsula para pílula anti-HIV que permite que um único comprimido  garanta o tratamento feito em sete dias. O estudo foi publicado hoje (9) na "Nature Communications".

 Utilizando os três principais compostos anti-HIV  usados atualmente (dolutegravir, rilpivirina e cabotegravir) em um sofisticado polímero que permitiu a liberação lenta dos compostos na corrente sanguínea, os cientistas conseguiram
produzir uma única dose semanal que é o suficiente.

Em testes pré-clínicos feitos em ratos, os cientistas observaram que os compostos podem ser liberados por até duas semanas. Nessa fase, os pesquisadores avaliam o potencial do composto, mas ainda necessitam de mais pesquisas para garantir a eficácia do medicamento. 

A nova cápsula para pílula, uma vez ingerida, se desdobra em uma estrutura parecida à de uma estrela, o que impede sua passagem para o intestino. Sem sair do estômago, ela continua a liberar compostos, ao mesmo tempo que permite que alimentos continuem passando pelo sistema digestivo. Os pesquisadores já haviam testado a estrutura com drogas de combate e agora desenvolveram a estrutura para drogas anti-HIV com uma adaptação importante: cada 'ponta' da estrela é feita com um material diferente. 

São os diferentes níveis de porosidade dessas pontas que garantem a liberação da droga em diferentes tempos.

Hoje, a maior parte dos pacientes com HIV tomam medicamentos diariamente - algumas vezes, mais de um comprimido. Como o tratamento é vitalício,  medicação diária pode ser um entrave para adesão a longo prazo.

São muitas as pesquisas em curso para o desenvolvimento de drogas que possam ser administradas com intervalos maiores de tempo entre uma e outra. Uma outra estratégia em estudo, por exemplo, é adoção de uma injeção que poderia ser administrada mensalmente.

Tags: HIV, Pílula, MIT, EUA


PUBLICIDADE

Newsletter

Cadastre-se e receba as novidades do Diagnosticoweb em seu e-mail

agenda

facebook

© Copyright 2012, Diagnósticoweb . Todos os direitos reservados.